Quando você pensa em um clima organizacional positivo, o que vem à mente? Dá para levantar vários fatores, mas certamente o engajamento dos colaboradores é um dos pontos principais. Quando as equipes estão motivadas e as pessoas se sentem confortáveis e pertencentes, os resultados começam a fluir.

Mas como isso acontece? Bem, uma boa comunicação interna é um bom ponto de partida. Mas é importante notar que essa comunicação não pode ser de mão única: lideranças precisam estimular diálogos com os colaboradores, ouvindo suas demandas e, também, passando feedbacks. 

Assim, uma cultura de feedback tem o propósito de criar um espaço onde colaboradores, líderes e gestores possam compartilhar opiniões de forma saudável e segura. O retorno, seja de críticas construtivas ou de elogios, é um fator muito importante para o crescimento individual. Vamos entender mais sobre o assunto?

O que é a cultura do feedback?

Basicamente é o processo de comunicação entre funcionários, independente de seus cargos, que proporcione clareza sobre o negócio e a performance de cada um dentro do ambiente de trabalho. 

Mantendo um diálogo saudável, a cultura do feedback pode abordar pontos de melhoria e correção, pontos fortes, comportamentos, alinhamento de expectativas, identificação de riscos, entre outros. Com isso, líderes e liderados passam a se conhecer melhor, entender as necessidades individuais e, consequentemente, ter maior direcionamento.

Quais são as vantagens da cultura de feedback?

Com um local onde os colaboradores se sintam seguros para compartilhar ideias, a tendência é que eles estejam cada vez mais engajados com a organização e seus propósitos, gerando maior produtividade. Além disso, com a mentalidade de crescimento os profissionais se sentem mais motivados, tornam-se proativos e buscam por inovação “vestindo a camisa” da organização.

Com a identificação prévia de riscos e com o alinhamento de expectativas, evita-se desperdício de tempo e recursos com possíveis erros, traz mais direcionamento e o funcionário se sente mais confiante para realizar atividades. De forma regular e natural, o feedback pode proporcionar troca de experiências e aprendizado até entre colegas de mesma função, fortalecendo a equipe como um todo.

Como implantar a cultura de feedback?

Para dar certo e ser algo realmente fluído, funcional, é necessário estimular um local seguro, onde todos se sintam confortáveis em compartilhar e expressar opiniões que possam contribuir com o desempenho do time ou crescimento individual. 

Trabalhar a empatia é fundamental, preparar líderes e colaboradores não apenas para saber se expressar mantendo o diálogo de forma saudável, mas também estar disposto a ouvir e realmente entender a mensagem passada.

O feedback deve manter a ideia de crescimento, por isso é importante saber elogiar, corrigir e orientar sem perder o propósito da conversa. 

Para estimular e não correr risco de desengajar, muitos utilizam o método conhecido como “sanduíche”: inicia-se um diálogo contextualizando uma situação e citando os pontos fortes, depois a descrição do problema com sua explicação (espaço para ouvir o outro e procurar solução juntos), encerrando com novamente pontos positivos e confiança na resolução.

Ademais, o processo precisa ser constante e não esporádico. Não significa que precisa ser burocrático e totalmente formal, porque isso pode afastar o colaborador, contudo deve existir uma rotina para que todos saibam e reconheçam que aquele é um momento importante e necessário para o desenvolvimento.

A cultura de feedback é um método eficaz para crescimento e fortalecimento da empresa como um todo, pois proporciona trocas de experiências, melhor relacionamento interpessoal e orientação clara. Engajamento, confiança e maior produtividade aparecerão de forma natural conforme o processo for praticado e aperfeiçoado. 

Quer saber mais sobre o universo RH? Acesse nosso e-book exclusivo sobre people analytics! 

(Visited 156 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.