Oferecer Benefícios Flexíveis aos colaboradores é uma estratégia cada vez mais valorizada no mundo empresarial. Segundo um estudo conduzido em 2023 pela Robert Half, 50% dos candidatos disponíveis no mercado consideram os benefícios como um fator crucial ao analisar uma nova proposta.

Além disso, 43% dos entrevistados indicaram que, caso os benefícios que consideram essenciais não sejam oferecidos, optariam por negociar por um salário mais atrativo.  Mas, como fazer isso da maneira certa? 

Neste blogpost, vamos descobrir como oferecer Benefícios Flexíveis de forma eficiente, trazendo vantagens tanto para a empresa quanto para as pessoas colaboradoras. Vamos começar essa jornada juntos!

A importância dos Benefícios Flexíveis 

De acordo com o Guia Nacional de Benefícios 2023 produzido pela Swile, a preferência por Benefícios Flexíveis aumentou de 20% em 2021 para 38% em 2023.

Agora, imagine se você pudesse escolher os benefícios que realmente atendem às suas necessidades. Isso significa que, em vez de receber um pacote de benefícios padrão que pode não ser totalmente relevante para você, você teria a oportunidade de personalizar seus benefícios de acordo com o que é mais importante para sua vida.

A pesquisa da Robert Half citada anteriormente também constatou que 81% dos entrevistados disseram que gostariam de poder escolher os benefícios de acordo com suas necessidades. Porém, apenas 12% das empresas pesquisadas oferecem essa possibilidade. Os dados apenas confirmam a importância dos Benefícios Flexíveis, não é mesmo?

Por que essa tendência é tão relevante?

Segundo foi divulgado pela GPTW (Great Places to Work) em 2023, os benefícios e remunerações estão entre os 5 fatores apontados pelos colaboradores como os mais importantes para entrar e permanecer em uma empresa. Além disso, de acordo com 12% dos colaboradores, esses pontos se destacam como primordiais para uma boa experiência no trabalho. 

Ou seja, a resposta reside na crescente conscientização de que os colaboradores são únicos e têm diferentes necessidades e circunstâncias de vida. O que é importante para um colaborador pode não ser o mesmo para outro. 

O programa de benefícios reconhece essa diversidade e oferece aos colaboradores a oportunidade de personalizar suas recompensas de acordo com o que é mais significativo para eles. Isso não apenas aumenta a satisfação no trabalho, mas também contribui para o bem-estar geral, impactando positivamente a produtividade e a retenção de talentos.

No entanto, adotar Benefícios Flexíveis pode parecer um desafio para algumas empresas. É importante entender o passo a passo para implementar essa estratégia e garantir que ela seja bem-sucedida. A seguir, vamos apresentar os principais pontos a serem considerados ao adotar Benefícios Flexíveis de maneira eficiente. Acompanhe! 

Implementando Benefícios Flexíveis de forma eficiente 

Mudanças demandam planejamento, especialmente quando envolvem a implementação de uma solução inovadora. Para auxiliar, aqui estão 6 passos para te guiar nessa jornada. Olha só:

Pesquisa e planejamento

Antes de implementar qualquer programa de benefícios, é necessário realizar pesquisas internas para entender o que os colaboradores valorizam. Isso envolve coletar informações sobre suas preferências e necessidades. Com base nesses insights, o próximo passo é o planejamento. Aqui, você deve criar uma lista variada de opções de benefícios que atendam às expectativas dos colaboradores.

Comunicação clara

A comunicação desempenha um papel crucial na aceitação do programa de benefícios. É importante transmitir as mudanças de forma clara e transparente. Isso significa explicar todos os detalhes do programa de benefícios, destacar suas vantagens e deixar claro como os colaboradores podem participar. Certifique-se de que todas as dúvidas sejam esclarecidas.

Educação

Não basta apenas oferecer opções de benefícios; é importante que as pessoas colaboradoras compreendam suas escolhas. Fornecer materiais informativos, como guias, pode ajudar nesse aspecto. Além disso, promova sessões de esclarecimento para responder a perguntas e garantir que os profissionais façam escolhas informadas.

Avaliação contínua

A implementação do programa de benefícios não é o fim do processo, mas sim o início. É essencial monitorar regularmente a eficácia do programa. Isso inclui coletar feedback dos colaboradores para entender como eles estão percebendo os benefícios oferecidos e se há áreas que precisam de melhorias. Com base nas avaliações, faça ajustes conforme necessário para manter o programa relevante.

Certifique-se sobre as questões legais

É importante estar atento às leis trabalhistas e previdenciárias para garantir que o programa esteja em compliance com a legislação. A Lei 14.442/2022 introduziu importantes aspectos que devem ser considerados em todas as etapas da gestão de benefícios de alimentação e refeição fora do PAT – Programa de Alimentação do Trabalho, e, para quem está inscrito no PAT, a principal referência deve ser o Decreto 10.854/21. Práticas anteriormente aceitas no mercado foram definitivamente eliminadas, como, por exemplo, temos o fim dos descontos (rebates) e o fim do pós-pagamento para o auxílio alimentação e refeição.

Flexibilidade evolutiva

As necessidades dos colaboradores e as tendências do mercado estão em constante evolução. Portanto, é importante permanecer aberto à modificação das opções de benefícios ao longo do tempo. Isso pode envolver a adição de novas opções de benefícios ou a adaptação das existentes para melhor atender às expectativas em constante mudança. A flexibilidade é fundamental para garantir que o programa de benefícios continue a ser eficaz e valioso.

Para finalizar

Na busca por oferecer Benefícios Flexíveis de forma eficiente, é crucial manter sempre o colaborador no centro das atenções. O primeiro passo é ouvir suas necessidades e preferências, entendendo que cada indivíduo é único. Em seguida, adaptar os benefícios de acordo com essas informações, criando um pacote personalizado que atenda às demandas de cada indivíduo.

Além disso, a comunicação transparente desempenha um papel fundamental. O RH deve garantir que os colaboradores compreendam totalmente os benefícios disponíveis, como acessá-los e como eles podem se beneficiar. Isso promove uma relação de confiança entre a empresa e sua equipe.

Em última análise, a eficiência na oferta de Benefícios Flexíveis não se trata apenas de reduzir custos, mas de investir no bem-estar e na motivação dos colaboradores. Quando os profissionais se sentem valorizados e ouvidos, eles estão mais propensos a se engajar e contribuir para o sucesso da empresa. Portanto, lembremos sempre: o segredo está em colocar o colaborador em primeiro lugar.

(Visited 145 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.