A sustentabilidade já virou tópico comum em pautas de discussões ao redor do mundo, afinal, se trata de um importante valor para o futuro global. Contudo, não basta conscientizar apenas as pessoas para mudarem seus hábitos dentro de casa, as organizações também precisam fazer parte desse movimento.

A responsabilidade social das empresas, antes pouco discutida, já se mostra fundamental. A cobrança por políticas que gerem retorno para a comunidade e reduzam os danos ambientais cresceu exponencialmente nas últimas décadas, tornando-se até um fator importante para a decisão dos consumidores. 

Para se manter competitiva no mercado, a marca precisa começar a repensar seus planejamentos,  e é aí que entra a sigla ESG. 

Trata-se de um conceito que envolve pilares fundamentais, incluindo o ambiental. De acordo com a pesquisa da PwC, 66% dos investidores avaliam as políticas de ESG antes de decidir investir em uma empresa. Quer entender mais sobre o assunto? Siga  a leitura! 

O que é a ESG?

A sigla reúne a inicial de três palavras em inglês: Environmental, Social and Governance.  Em português, ambiental, social e governança. Esses são os três pilares fundamentais para que a estratégia organizacional contemple a responsabilidade social da companhia. 

Apesar do destaque recente, o termo surgiu em 2004 em uma publicação chamada “Who Cares Wins” (“quem se importa, ganha”).

O trabalho foi realizado em parceria entre o Pacto Global com o Banco Mundial, a partir de uma reunião entre o ex-secretário da ONU com mais 50 CEOs para discutir a inclusão dos três fatores no mercado de capital. Atualmente a discussão tem mais força na Europa e nos Estados Unidos, mas já alavanca negócios no Brasil.

ESG e as principais características 

Como vimos, a sigla é formada com base em três conceitos: ambiental, social e governança. O objetivo é orientar tomadas de decisões internas, nortear investimentos e consumo com foco na sustentabilidade.

A parte ambiental refere-se à responsabilidade que as empresas assumem com a sustentabilidade, ou seja, desenvolver e incentivar de fato práticas preventivas e proativas visando a melhora ambiental, reduzindo ao máximo impactos à natureza. Usar a tecnologia para melhorar o processo produtivo e buscar fornecedores comprometidos.

No quesito social, considera-se a qualidade de vida dos colaboradores, o bem estar e segurança no trabalho, e a capacitação através de treinamentos. Além do respeito à diversidade e consciência sobre a influência que o negócio representa no meio que está inserido.

A governança inclui todos os envolvidos em suas decisões administrativas, seja de forma direta ou indireta. A comunicação e as medidas tomadas devem ser honestas e transparentes para funcionários, fornecedores, stakeholders e partes interessadas.

A ética é fundamental nos três aspectos da ESG, assim como o desenvolvimento de bons relacionamentos com todas as partes, assegurando a equidade. Dessa forma, torna-se possível identificar os valores da organização e observar como a cultura se demonstra na prática.

Importância da ESG

O comprometimento com a ESG proporciona benefícios gerais. As marcas possuem grande influência no comportamento das pessoas, podendo, dessa forma, gerar hábitos mais saudáveis em relação à inclusão social, ao meio ambiente, além de ter mais sucesso no bem estar dos colaboradores melhorando o engajamento.

Do ponto de vista comercial, adotar os princípios ESG é um movimento vital para a saúde do negócio em longo prazo. Isso porque estamos na era do consumidor 4.0, caracterizado pela ampla preocupação com a responsabilidade social e ambiental das marcas que consome. 

A adoção do conjunto de medidas também reduz riscos de descumprimento legal e regulatório, que podem ocasionar multas, além de contribuir no bom desempenho em auditorias externas. Empresas que já investem no ESG pensam na boa competitividade a longo prazo.

A tendência é que cada vez mais investidores e consumidores estejam mais atentos às políticas e atitudes das organizações, oferecendo destaque e maiores oportunidades de negócio. Ao se atentar ao ESG, as empresas criam valor para seu negócio!

Investimento com visão de futuro

Mesmo que no Brasil a discussão e a prática estejam no início, a ESG já vem demonstrando importância global. Organizações que incluem os três pilares na estratégia e na tomada de decisões estão alcançando um bom posicionamento na competição a longo prazo de mercado.

Segundo a pesquisa da PwC, 56% dos entrevistados recusam investimentos ou parcerias por questões relacionadas a ESG e 43% dos consumidores têm expectativa quanto à responsabilidade ambiental das marcas. A confiança nos valores da empresa gera impacto significativo nos resultados de modo geral. 

(Visited 66 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.