Duas coisas bem distintas, uma é a cultura, outra é o clima. Sim, por mais que muitas pessoas visualizem esses dois conceitos como sinônimos, existem diferenças marcantes entre eles. E semelhanças também. Ambos são importantes fatores para o sucesso de qualquer empresa, especialmente quando colocamos o foco na área de RH

Não à toa, muitos profissionais de RH passam boa parte do tempo no trabalho estudando formas de aprimorar o clima organizacional e fortalecer a cultura da companhia. Para isso, além de muito estudo, é preciso saber diferenciar os dois conceitos e, mais importante ainda, entender como relacioná-los. 

E foi por isso que criamos este post. Nele vamos reforçar o significado de clima e cultura organizacional, apontando diferenças e semelhanças, além de boas práticas para otimizá-los. Acompanhe!

O que é cultura organizacional? 

Uma boa forma de descrever a cultura organizacional é como DNA da empresa. A cultura nada mais é do que o conjunto de valores, regras, ritos e normas compartilhados pelas pessoas da empresa. Esses elementos servem como norte para guiar o comportamento considerado adequado para viabilizar o sucesso da companhia. 

Dessa forma, a cultura organizacional pode ser entendida como a identidade da empresa, guiando tanto as ações individuais quanto as coletivas. Esse tipo de abordagem transborda o ambiente interno e se reflete nas ações externas da companhia, como campanhas de marketing, abordagem a clientes, posicionamentos de mercado etc. 

Como você pode ver, trata-se de um elemento extremamente importante na estratégia da empresa, já que é o que a diferencia das demais. Por isso mesmo, é preciso olhar de perto para a cultura organizacional a fim de encontrar possíveis melhorias e evitar que se desenvolvam comportamentos e rituais contraproducentes. 

Quer um exemplo de como isso é importante? Imagine um colaborador recém chegado na companhia. Ele dificilmente chegará “cru”.Ou seja, cada novo colaborador traz consigo uma espécie de bagagem acumulada pela sua experiência em outros ambientes. E essa bagagem varia de pessoa para pessoa, o que pode causar uma grande confusão nos relacionamentos. 

Com uma cultura organizacional bem definida, a identidade da organização é transmitida aos recém chegados desde o seu primeiro contato com a empresa. Já no onboarding, por exemplo, o RH se esforça para garantir que todos estejam na mesma página sobre as normas, valores e comportamentos esperados durante seu tempo na empresa. Isso é fundamental para uma rápida adaptação e para a retenção de talentos em longo prazo. 

E o clima organizacional, o que é?

Entendido o que é cultura organizacional, vamos voltar nossas atenções ao clima. Aqui, estamos falando de um conceito mais maleável, que pode sofrer alterações mais rápidas e que envolve múltiplos fatores que nem sempre podem ser previstos. O clima organizacional se refere à forma como os colaboradores percebem o ambiente de trabalho. 

Trata-se, portanto, da atmosfera que se desenvolve em torno dos colaboradores, englobando todas as atividades realizadas no ambiente de trabalho e todas as relações produzidas pelas mesmas. Uma das principais diferenças em relação à cultura é que o clima organizacional é mais sensível a mudanças. Um pequeno detalhe pode alterar completamente a percepção dos colaboradores. 

Quando existem relacionamentos positivos dentro da empresa, o clima gera sensações positivas nos colaboradores, contribuindo para sua motivação e, consequentemente, para o seu desempenho. Por outro lado, quando as relações cotidianas estão abaladas, o clima gera sensações negativas, contribuindo, por exemplo, para o aumento do turnover. 

Sendo assim, podemos entender o clima organizacional como algo que se desenvolve a partir de relações e situações diárias. Isso envolve a comunicação interna, as condições de trabalho oferecidas, a política de feedbacks, o pacote de benefícios e muitos outros fatores. 

Agora, como exatamente o clima e a cultura se relacionam? A resposta está no próximo tópico. 

Qual é a relação entre cultura e clima organizacional?

Bem, primeiro vamos recapitular algumas diferenças. A cultura organizacional é um conceito mais denso que o clima, que exige maior esforço para que mudanças aconteçam. Logo, trata-se de um conceito que deve ser observado sempre em longo prazo, sob um olhar estratégico capaz de implementar, na prática, os hábitos, rituais e valores desejados. 


O clima, por sua vez, é mais flexível. Pequenas ações cotidianas, como uma melhora na cesta de benefícios ou otimizações estruturais no escritório têm impacto direto no clima. Portanto, o clima é mais sobre os colaboradores do que sobre a empresa em si. Ele vem da percepção que os colaboradores têm sobre sua própria experiência no trabalho. 

Dito isso, podemos encaixar o clima como uma esfera que faz parte da cultura organizacional, concorda? Afinal, é impossível alterar a cultura organizacional sem fazer mudanças eficientes para a criação de um clima positivo. Quer um exemplo? Imagine que a sua empresa resolva desenvolver uma cultura orientada por performance. Basta comunicar isso aos colaboradores? 

Não. É preciso fazer mudanças menores e criar um clima organizacional que incentive o alto desempenho em tarefas e projetos. Isso inclui o oferecimento de treinamentos, o estabelecimento de metas, a definição de prêmios por performance etc. Ao implementar tudo isso com eficácia, a empresa dá os primeiros passos para chegar à cultura organizacional desejada. 

Como cuidar do clima e da cultura organizacional? 

Embora clima e cultura organizacional sejam conceitos geralmente trabalhados na área de RH, seria um erro imaginar que o departamento de pessoas é o único responsável por essas questões. É fundamental que exista um alinhamento entre todos os gestores e lideranças, de modo a garantir que não haja ruídos ou falhas de comunicação que comprometam o objetivo. 

Então, vamos por partes. Como cuidar do clima organizacional? Bem, naturalmente, é preciso ouvir o que os colaboradores têm a dizer, concorda? É por isso que as pesquisas de clima são tão importantes. Elas servem como termômetro para mapear o sentimento dos colaboradores, identificando oportunidades e pontos de melhoria. 

A partir dos resultados desse tipo de pesquisa, gestores e lideranças podem se reunir para traçar planos de médio e longo prazo com o objetivo de tornar o clima mais positivo e, assim, aproximar-se da cultura considerada ideal. 

Agora que você entende a diferença entre cultura e clima organizacional, pode entender de forma mais clara os impactos que esses conceitos trazem para a empresa. Por se tratar de algo mais sólido e de longo prazo, a cultura da empresa engloba o clima organizacional e depende dele para se consolidar de forma positiva. 

Quer receber nossos conteúdos em primeira mão? Assine a nossa newsletter! 

(Visited 5.295 times, 55 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.