O organograma é uma ferramenta muito útil para os processos de gestão de uma organização, sendo capaz de proporcionar grandes benefícios para os negócios, consolidando a estrutura de sua organização, facilitando ainda a visualização do funcionamento para colaboradores, fornecedores e parceiros.

Cada empresa tem necessidades e particularidades próprias, por isso, não há um modelo único de organograma empresarial que atenda a todas, de forma igualitária. Vamos ver mais detalhes sobre o que é, sua importância e dicas de como formar um bom mapa para sua organização!

O que é organograma empresarial?

O organograma empresarial é um mapeamento visual das áreas e papéis existentes em uma organização, além de suas respectivas relações quanto ao nível hierárquico. A ilustração também pode apresentar os responsáveis pelos setores e como estes estão ligados.

É uma ferramenta estratégica muito importante para a gestão, pois facilita o entendimento sobre a estrutura da organização, a influência de um departamento sobre o outro e auxilia na construção do planejamento, otimizando a formação de novos planos de crescimento das equipes.

Qual é a importância do organograma empresarial?

Como mencionado, o organograma permite uma visualização fácil da estrutura organizacional e seus níveis hierárquicos, o que é essencial para a gestão ter agilidade nas tomadas de decisões, além de poder ser utilizado de base para planejamento de atividades diversas.

O mapeamento, desde que esteja atualizado e que corresponda à realidade da empresa, pode auxiliar durante o planejamento estratégico, na distribuição adequada de demandas e torna claro a maturidade e nível de cada profissional, agilizando resolução de problemas ou finalização de tarefas, por exemplo.

Para a gestão de pessoas também é uma ferramenta importante. Na rotina irá otimizar a organização de equipes e, caso exista necessidade de reestruturação de times, irá tornar mais fácil o entendimento da mudança. No processo de onboarding, o organograma melhora o aprendizado dos novos colaboradores.

Tipos de organogramas organizacionais

É válido ressaltar que não existe um modelo universal que atenda todas as necessidades de todas as empresas, pois cada negócio terá sua necessidade e sua particularidade. Confira os X principais modelos existentes:

Clássico ou Vertical

Provavelmente é o modelo mais conhecido de organograma empresarial, pois sua formação é de acordo com o nível de importância de cada cargo, tendo os de maior responsabilidade no topo do mapeamento e, na base, geralmente funções mais operacionais.

O exemplo da imagem foi formado pela EAG. Dessa forma, torna-se simples de identificar os cargos de maior atribuição, no caso o CEO e diretores, que vão diminuindo conforme se aproxima da base, como os coordenadores.

Horizontal

O organograma horizontal é semelhante ao vertical, sua estrutura em questões visuais se alteram por estarem dispostas em linhas horizontais. Da esquerda para direita, respectivamente, encontram-se os cargos com maior responsabilidade e os menores na hierarquia.

A imagem, retirada da EAG, representa um organograma horizontal. Como mencionado, à esquerda nota-se o papel de CEO e a direita os demais setores. Geralmente, o modelo é utilizado para não enfatizar tanto a relação hierárquica quanto na vertical.

Circular ou radial

Este modelo é, em sua maioria, utilizado por organizações que querem foco no trabalho em equipe, sem a valorização demasiada de níveis hierárquicos. Geralmente os líderes se encontram no centro e, ao redor, seus times. 

A imagem representa um exemplo de organograma radial. Pode ser feito por área com as pessoas envolvidas, ou apenas representando os setores e funções. É um método considerado mais moderno.

Funcional

A ideia representada pelo modelo funcional é parecida ao vertical, porém, desta vez, a ênfase é nas relações funcionais existentes na organização e não na ideia hierárquica do modelo clássico.

O modelo representado pela Tangerino demonstra como há foco na agilidade para entender o fluxo de trabalho, tendo as linhas representando a ligação entre os departamentos da empresa.

Linear

Quanto à visualização, o linear é o modelo mais diferente, pois se apresenta por uma tabela e refere-se a informação oferecida, não tendo uma apresentação por hierarquia. Sua estrutura representa a relação entre as tarefas da organização e os respectivos responsáveis.

O modelo demonstra as atividades e os cargos nas colunas e, à direita, a legenda para situar quem executa cada tarefa. É importante ter cautela ao optar por este modelo, pois em processos muito complexos pode se tornar poluído visualmente.

Matricial

É o modelo mais flexível, atende demanda de empresas com processos dinâmicos, com estrutura formada por grupos que executam tarefas ou projetos e pode ser utilizado de forma temporária.

O exemplo demonstra como a visualização é mais simples e rápida, podendo ser facilmente ajustado e não há tanta ênfase na hierarquia. É indicado também para projetos isolados, onde terão squads temporários atuando.

Em barras

Apesar de não ser tão popular entre as organizações, pode ser utilizado para uma demonstração simples do nível hierárquico existente dentro da empresa, no entanto, não há representação de função e, por isso, não é tão comum.

Nota-se na imagem que quanto maior a barra, maior é seu nível de responsabilidade e atribuição na organização, o inverso também é válido. Simples de interpretar, mas não há muita informação além da hierarquia.

Como construir um organograma

A organização deve, inicialmente, analisar as informações que querem ser apresentadas em seu organograma e o foco desejado, além de possuir uma estrutura formada para as funções existentes. 

O organograma não irá representar as pessoas em si, mas os cargos da empresa, portanto, é essencial ter compreensão sobre as relações entre papéis e departamentos. Dessa maneira, tendo a estrutura entendida e a definição do objetivo do mapeamento, basta escolher um modelo e uma ferramenta.

Há opções gratuitas de ferramentas para utilizar como Excel, Word ou PowerPoint, a ideal é a que atender e se adequar a necessidade. Ademais, não é preciso ter medo de fazer rascunhos e correções, mas, ao final, as informações devem passar por validações com cada líder representado.

Apresentar para os colaboradores e obter um panorama de opiniões também é fundamental, afinal, o melhor modelo de organograma empresarial é o que representa claramente a estrutura real e o funcionamento da organização!

(Visited 9 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.