Está cada vez mais claro que profissionais buscam mais do que um bom salário nas empresas. Hoje, os profissionais priorizam qualidade no trabalho, o que já era uma tendência e ganhou mais destaque nos últimos anos.

Esse bem-estar tão valorizado envolve um conjunto de elementos que influenciam tanto na atração de novos talentos, quanto na retenção de colaboradores.

Por isso, as melhores marcas empregadoras buscam por soluções e investem em métodos para diminuir a taxa de turnover e, claro, para se tornarem mais competitivas na busca por novos profissionais. Nesse processo, é fundamental trabalhar o Employee Value Proposition (EVP). Bora falar mais sobre o assunto?

Conceituando o EVP

O termo Employee Value Proposition, ou EVP, significa, em tradução livre para o português, “proposta de valor ao empregado”. Na prática, representa os benefícios que serão oferecidos aos colaboradores dentro da empresa. Além de um salário atrativo, isso inclui plano de carreira, benefícios não obrigatórios, um bom ambiente de trabalho, entre outros aspectos.

A proposta é que exista uma reflexão sobre o que os funcionários realmente precisam para manter a ideia de que aquele é um local ideal para se trabalhar. Mais do que um pensamento, é uma decisão estratégica e funciona como uma via de mão dupla: profissionais contentes produzem mais e apresentam menores chances de pedirem demissão.

Para isso, o setor do RH deve estar preparado e treinado, pois é o trabalho envolve diretamente as pessoas e tem ligação com a cultura organizacional. Dentre o conjunto de benefícios, a forma com que as relações acontecem no ambiente de trabalho também ganha destaque. Tudo isso precisa ser analisado antes de iniciar as ações efetivamente.

O que compõe um bom EVP? 

Formar um bom EVP não é tão simples, afinal, ele conta não apenas com as recompensas tangíveis, mas também intangíveis. Não é apenas sobre um bom salário ou um vale refeição, mas também clima e cultura organizacional. Dessa forma, é importante dedicar-se a conhecer os colaboradores, analisar pesquisas de clima e saber se realmente os valores da empresa estão sendo reconhecidos e colocados em prática.

Os benefícios oferecidos sempre contam como ponto positivo, mas organizações já têm ido além, oferecendo algumas recompensas que podem ser utilizadas na vida pessoal do colaborador como auxílio cultural ou gympass (parceria em atividades para manter o bem físico e mental), com isso, o funcionário consegue enxergar a importância do local de trabalho até mesmo nos momentos de lazer e autocuidado.

O emocional também é um forte fator para o EVP. O colaborador precisa sentir que é valorizado de verdade, que é importante para empresa e que existe um propósito em seu trabalho. Reconhecimento, nem sempre com bens tangíveis, faz a diferença.

Por que investir?

Uma pesquisa feita pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho mostrou que de 2019 para 2020 houve um aumento de 26% de pessoas que pediram afastamento do trabalho por transtornos mentais. Ações presentes na rotina da empresa que procuram estimular o bem-estar podem não só evitar situações extremas, mas também manter a equipe engajada e, consequentemente, mais produtiva.

Com um bom clima organizacional, os colaboradores tendem a se manterem positivos em continuar na empresa e buscam contribuir quando enxergam uma expectativa de crescimento. Além disso, no processo de recrutamento e seleção é possível atrair novos talentos fortes e mais alinhados com a cultura da empresa, com valores semelhantes.

Em suma, a boa relação funcionário-empresa é cada vez mais procurada e bons gestores já estão investindo para melhorar esse cenário. Com uma análise estratégica e boas práticas, é possível ir além do “apenas um trabalho” e formar um ambiente em que os colaboradores tenham visão de real propósito nas atividades.

Quer ficar por dentro de nossos conteúdos? Assine nossa newsletter!

(Visited 292 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.