No mundo corporativo, o Employer Branding se tornou uma peça fundamental para o sucesso de uma empresa no mercado. Trata-se de uma estratégia que visa estruturar a reputação da empresa como empregadora, a fim de atrair e reter talentos, melhorar a cultura organizacional e fortalecer a imagem da empresa.

Em resumo, o Employer Branding gera inúmeros benefícios, incluindo atração e retenção dos melhores talentos, melhora na produtividade, otimização de processos, pessoas colaboradoras que promovem a marca e reforço da cultura e valores organizacionais. Tudo isso, claro, resulta em uma redução da taxa de turnover.

Mas qual é o real impacto da sua estratégia de marca empregadora nos resultados da sua empresa? Para saber isso, é preciso aprender mais sobre ROI do Employer Branding e como essa técnica pode te ajudar a evitar prejuízos desnecessários. Continue a leitura!

Por que se preocupar com as taxas de turnover?

Turnover, traduzido no português literal como rotatividade, é um indicador utilizado para medir a rotatividade de pessoas colaboradoras dentro de uma organização. Em outras palavras, trata-se de um cálculo que representa o número de profisssionais que entraram e saíram da empresa em um determinado período.

O alto índice de rotatividade pode trazer sérios prejuízos para a empresa. Aqui estão algumas razões pelas quais é importante monitorar e controlar a taxa de turnover:

Custo financeiro

Contratar, treinar e integrar novos colaboradores pode ser caro e demorado. A rotatividade constante pode significar que a empresa está gastando muito dinheiro e recursos para manter sua equipe funcionando.

Perda de produtividade

Quando os colaboradores saem, eles levam consigo o conhecimento e a experiência que adquiriram na empresa. Isso pode levar a uma perda de produtividade e eficiência enquanto novas pessoas colaboradoras se adaptam.

Impacto na cultura corporativa

A rotatividade constante pode afetar negativamente a cultura corporativa, aumentando o estresse e a instabilidade entre os profissionais.

Dificuldade para atrair novos talentos

Se a taxa de turnover for alta, isso pode desencorajar novos talentos de se juntarem à equipe. As pessoas podem ter medo de se juntar a uma empresa com uma cultura instável ou um histórico de alta rotatividade.

Por isso, é crucial que as empresas tenham uma preocupação constante com as taxas de turnover e busquem identificar as causas e tomar medidas para reduzir esse índice.

Qual a relação entre Employer Branding e turnover?

O Employer Branding está totalmente presente quando o objetivo é diminuir a taxa de rotatividade de uma organização.

A marca de uma empresa é uma representação do que ela oferece aos seus colaboradores. Quando uma empresa tem uma marca forte e positiva, ela atrai talentos e os mantém motivados e comprometidos com sua missão e valores. Isso resulta em uma taxa de rotatividade notavelmente mais baixa, já que as pessoas colaboradoras se sentem satisfeitas e valorizadas em seu ambiente de trabalho.

Por outro lado, empresas com uma marca fraca e negativa tendem a ter taxas de turnover mais elevadas. Isso ocorre porque as pessoas colaboradoras não se sentem motivadas e satisfeitas com seu ambiente de trabalho, o que os levam a buscar outras oportunidades de emprego.

Investir em Employer Branding é uma forma eficaz de reduzir a taxa de turnover, aumentar a satisfação e o comprometimento das pessoas colaboradoras. Isso envolve trabalhar na imagem da empresa como um lugar de trabalho atraente, oferecendo além dos benefícios, oportunidades de crescimento, e a promoção de uma cultura positiva e inclusiva.

3 métricas principais para mensurar as ações de Employer Branding

Para garantir que suas ações de Employer Branding estão sendo efetivas, é importante mensurá-las por meio de métricas específicas.

Aqui estão três métricas importantes para medir o sucesso de suas ações de Employer Branding:

1.   Taxa de retenção:

A taxa de retenção mede a porcentagem de pessoas colaboradoras que permanecem na empresa por um período de tempo determinado. É importante mensurá-la, pois indica a satisfação e comprometimento dos colaboradores. Se a taxa de retenção for baixa, pode ser um sinal de que há problemas internos na empresa, e é importante verificar o que precisa ser corrigido ou repensado.

2.   Custo por contratação:

O custo por contratação mede o quanto a empresa gasta para contratar um novo candidato colaborador, incluindo despesas com recrutamento, seleção, treinamento e integração. É importante mensurar o custo por contratação para garantir que a empresa está investindo de forma eficiente em seu processo de recrutamento atraindo os melhores talentos.

3.   Engajamento interno:

O engajamento interno mede o nível de satisfação e comprometimento dos profissionais com a empresa. É relevante mensurá-lo para entender o que está motivando os colaboradores, e o que pode ser feito para melhorar sua experiência na jornada de trabalho.

Mas, como saber se o investimento em Employer Branding está trazendo retorno para a empresa? É aqui que entra o cálculo do ROI. Confira abaixo!

Como calcular o ROI do Employer Branding

O ROI, ou Retorno sobre Investimento, é uma métrica simples que permite avaliar se o investimento feito está trazendo retorno positivo.

Primeiro, identifique os gastos relacionados ao Employer Branding, como recrutamento, marketing de empregos, eventos de recrutamento e melhorias nas condições de trabalho. Em seguida, avalie os ganhos obtidos, como redução de custos de recrutamento, aumento da retenção de talentos, satisfação dos colaboradores, produtividade e imagem da empresa.

Ao comparar os gastos e ganhos, é possível avaliar se o investimento no Employer Branding está trazendo um retorno positivo. Se o ROI for alto, significa que o investimento está valendo a pena e pode ser continuado. Caso contrário, pode ser necessário reavaliar as estratégias e fazer ajustes para otimizar o retorno sobre o investimento.

Existem várias maneiras de obter o resultado, mas aqui está uma fórmula simplificada para começarmos:

ROI do Employer Branding = (Ganhos gerados pela marca de empregador – Investimento na marca de empregador) / Investimento na marca de empregador

Conclusão:

Sabemos que ao mensurar o ROI do Employer Branding, é importante levar em consideração todos os gastos e benefícios obtidos, incluindo a retenção de talentos, melhora da imagem da empresa e atração de novos profissionais. Infelizmente, o turnover é uma ameaça constante ao retorno do investimento e pode causar danos significativos para a organização.

Por isso, é vital manter seu RH atualizado sobre as tendências do mercado de modo a implementar as ações de Employer Branding de forma sutentável, gerando vantagens reais para a empresa. Desse modo, a marca fica cada vez mais bem vista e, os colaboradores, mais felizes.

(Visited 101 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.