Autonomia e liberdade. Esses são os dois substantivos que moldam a essência dos Benefícios Flexíveis. Essa categoria, surgida a poucos anos, engloba uma série de vantagens oferecidas pela empresa em um modelo personalizável, que pode atender as demandas e necessidades específicas de cada colaborador, por mais diversa que a equipe seja. 

Embora o conceito tenha sido criado nos anos 70, nos Estados Unidos, ainda é uma novidade para muitas pessoas no Brasil. Mas a tendência é de crescimento acelerado. A expectativa é de que o mercado de benefícios triplique rapidamente, impulsionado pela possibilidade de flexibilização.

Contudo, ainda surgem notícias falsas tentando desvalorizar soluções inovadoras. Isso acontece porque algumas empresas mais antigas, que dominavam o mercado de benefícios por muito tempo, resistem em se adaptar às mudanças. Mas não se preocupe! Neste blogpost, vamos esclarecer todos os mitos sobre os Benefícios Flexíveis. Vamos começar?

1- ‘’Benefícios Flexíveis são apenas para empresas grandes e com muito orçamento’’

Mito desvendado! Os Benefícios Flexíveis não são exclusividade de empresas gigantes com orçamentos enormes. Na verdade, eles são soluções econômicas e adaptáveis que cabem no bolso de organizações de médio e pequeno porte, e até mesmo para microempreendedores individuais.

Essa flexibilidade financeira torna os benefícios acessíveis a uma variedade de empresas, independentemente do tamanho, permitindo que todas proporcionem vantagens atraentes para seus colaboradores. Portanto, é hora de abandonar a ideia de que apenas as grandes corporações podem usufruir dessas inovações e começar a explorar como os Benefícios Flexíveis podem se adequar perfeitamente à realidade de diferentes tipos de negócios!

2-  “Benefícios Flexíveis podem me tirar do PAT”

Vamos esclarecer isso: os Benefícios Flexíveis estão totalmente em conformidade com as regras do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT).

As alterações no PAT proporcionaram todo o respaldo necessário para que os tradicionais Vale Alimentação e Refeição evoluíssem para soluções mais abrangentes e integradas aos demais benefícios oferecidos pelas empresas.

A Swile, em particular, sempre  esteve de acordo com as regras do Programa. Porém, muitas empresas tradicionais costumam a recorrer a práticas desautorizadas, como o rebate, que, por sinal, foram proibidas nos contratos de Benefícios Corporativos. 

Portanto, adotar Benefícios Flexíveis não significa sair do PAT, mas sim modernizar e aprimorar as opções oferecidas aos colaboradores de acordo com as normas vigentes.

3- ‘’A gestão dos Benefícios Flexíveis é complexa’’

Gerenciar Benefícios Flexíveis não é tão complicado como algumas pessoas pensam.

Na verdade, a flexibilidade desses benefícios facilita a adaptação às necessidades específicas de cada empresa. Ao contrário do mito de que é uma tarefa complicada, nossa plataforma oferece ferramentas fáceis e sistemas automatizados para tornar a gestão dos Benefícios mais simples e eficiente.

Ao adotar essa estratégia, os benefícios podem simplificar a administração, permitindo ajustes personalizados conforme as demandas das pessoas colaboradoras e da empresa. Não se deixe enganar pela ideia de que a gestão dos Benefícios Flexíveis é complexa, pois, na verdade, eles foram projetados para tornar o processo mais rápido e adaptável.

4- “Benefícios Flexíveis só trazem vantagens para colaboradores, sem benefícios reais para as empresas”

Desmentindo: Essa crença é completamente equivocada. Os Benefícios Flexíveis são uma via de mão dupla, oferecendo ganhos tanto para os colaboradores quanto para as empresas. Ao proporcionar opções personalizadas, as empresas podem aumentar a satisfação e o engajamento dos profissionais, impactando positivamente a produtividade e a retenção de talentos

Além disso, a flexibilidade nas escolhas de benefícios pode resultar em melhorias na cultura organizacional e no posicionamento da empresa no mercado. Ou seja, ao contrário desta crença, os Benefícios Flexíveis não apenas proporcionam economia, mas também possibilitam um uso mais estratégico dos recursos empresariais.

Para finalizar…

Cada vez mais, os benefícios se tornarão elementos essenciais para a gestão de pessoas e para o próprio sucesso comercial das empresas. E quem não acompanhar vai ficar para trás.

Do Vale Alimentação ao auxílio pet, do auxílio home office à Vale Cultura, o fato é que os Benefícios Flexíveis não devem mais ser pensados como soluções impossíveis de se adequar, mas sim como parte integrante da experiência profissional dos colaboradores. Isso caminha lado a lado com as novas relações de trabalho, que colocam o colaborador em uma posição de maior poder. 

Hoje (e amanhã), os Benefícios Flexíveis são indispensáveis para atrair esses talentos tão disputados e, mais do que isso, garantir que, durante seu tempo como empregados, eles ofereçam o melhor de si. Não porque são pressionados, muito menos porque não têm escolha, mas sim porque se sentem valorizados e se sentem parte integrante de uma cultura com que se identificam. 

(Visited 23 times, 1 visits today)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.